terça-feira, junho 30, 2009



Samba triste se faz assim...



E é por meio destas simplórias linhas que venho declarar todo meu amor, descompasso, doentia, fanatismo por ela que me acompanha desde minha mais tenra idade: Maysa (e ponto).
Maysa e só Maysa (como gostava de ser chamada) é dona de uma voz quente e marcante, comparada somente ao vinho que só como ele, consegue nos seduzir e envolver a cada gole que se consome, nos tornando menos sóbrio e mais "nós". Em sua música Maysa consegue pintar o mundo boêmio sem clichês, sem deixar escapar seu garbo, charme e elegância. Sua melodia entra por nossos ouvidos e nos devassa, nos revira por todos os ângulos, com um par de olhos verdes e um cabelo propositalemente em desalinho e uma boca, uma voz que desconcerta e deixa bambo qualquer marmanjo.




E pra pontuar tudo isso, a imortal canção de Jacques Brell eternizada em sua voz: Ne me quitte pas

2 comentários:

Liana disse...

Um dos melhores videos dela! Talvez pq eu ame essa musica rs. Maysa é uma das unicas cantoras que interpreta "ne me quitte pas" quase tao bem quanto Brell.

igor disse...

não tenho palavras, achei LINDA a forma que você descreveu Maysa...